quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Primeiras vezes

Como prometido, aí vão os 5 depoimentos sobres o primeiros grandes amores livros da galera. Estão curiosos? Lá vai:


1. Meu primeiro livro foi Meu pé de Laranja-Lima ;) Era da minha mãe, tb adorava ele... os desenhos | Fabiana
2. Na infância li muita coisa aqui e ali, mas o livro que marcou o início da minha trajetória de leitora inveterada foi "O Guarani".
Alencar foi o primeiro José da minha vida!Eu vi cada pedacinho da casa de Ceci; enamorei-me da virilidade gentil de Peri e nadei junto com eles segurando aquele tronco de árvore, arfando e desejando que permacessemos vivos...Senti falta daquele jeito de contar histórias, então passeei os dedos por toda estante de meu pai, procurando outros livros deste romancista, até que a morte da terna Iracema me convidasse a buscar novos amores. Foi quando encontrei Deolindo Venta Grande e atraquei o barco que sou no mar-Machado. Mas como só posso contar do primeiro amor, só me resta suspirar... | Hellenice Ferreira
3. Meus pais não eram adeptos da leitura. No máximo, liam o jornal de domingo, onde havia uma espécie de resumo dos acontecimentos da semana. Não tínhamos livros em casa, apenas um dicionário. 
Eu sempre gostei de ler. Durante um bom tempo fui uma devoradora de gibis - que na época nós chamávamos de "revistinhas" -, principalmente os da Disney e os do Maurício de Sousa, e também dos Manuais da Disney que a Editora Abril lançava, periodicamente (o do Escoteiro Mirim, foi o meu favorito).

Então, no meu 10º aniversário, ganhei um livro de presente, de uma vizinha, dona Maria do Carmo. Um livro de verdade, com mais de 200 páginas! Era Mulherzinhas de Louise May Alcott. A história, sobre as alegrias e tristezas de uma família americana, cujo pai está ausente, na Guerra Civil, me cativou e emocionou. A mãe e as quatro filhas eram um exemplo de valores morais, união e superação. Senti uma identificação imediata com a personagem Jo, uma das filhas, meio moleca, que sonhava ser escritora...

O melhor de tudo é que acredito que o presente foi um teste. Ao perceber que me interessei pela leitura, minha vizinha - que alguns consideravam meio esquisita e até pensavam que era bruxa... - abriu as portas de seu apartamento para mim e nele encontrei, pela primeira vez, uma biblioteca particular. Ela possuía um grande número de títulos, que passou a me emprestar. Assim que eu terminava a leitura de um, ia lá, buscar o volume seguinte.

Anos depois, acabei me mudando de apartamento, de bairro e, depois, de cidade. Fiquei sabendo, por conhecidos, que a dona Maria do Carmo já morreu. Adoraria poder dizer a ela a importância que aquele presente e o acesso aos seus livros teve na minha vida. Conservo com carinho o exemplar de Mulherzinhas que ganhei há 36 anos. É, sem dúvida, o meu primeiro livro inesquecível. | Kathia Brienza
4. Passados 47 anos ainda lembro nitidamente de "ANOS FELIZES", de Laura Ingalls Wilder. Venci um concurso escolar do Jornal O Fluminense (Niterói/RJ)e o prêmio era a publicação da minha redação sobre Niterói e o livro (ainda tenho a redação e o livro). Apaixonei-me pela história biográfica de Laura, professora jovem e apaixonada que se casa e vai viver na pequena reserva na pradaria... Esse livro também é conhecido como "Uma Casa Na Pradaria"... Acho que nessa época (estava com 8 para 9 anos)descobri o meu vício e paixão pela leitura, herdados da minha mãe e amorativamente repassado para minha filha. Em 1963, após essa leitura, consegui todos os outros livros adoráveis de Laura I. Wilder, mas esse é inesquecível e relido de tempos em tempos. | Ana M. M. Pereira
5. Posso dizer que meu “primeiro livro” foram dois.  Dois livros que me envolveram de tal forma, que não me lembro de ter terminado um antes de começar o outro.  Tudo por causa de Pedrinho que me guiou, de um só fôlego , através de suas aventuras nas “Caçadas de Pedrinho” e “Viagem ao Céu”.  Encantada que estava com aquele menino, fui entrando, devagarinho, por entre nebulosas, estrelas e onças, nesse mundo da leitura do qual nunca sai. | Maria Clara 
 
 

Um comentário:

Ana M M Pereira disse...

Adorei os depoimentos sobre os 'primeiros grandes livros" e, muito mais, ver que o meu depoimento também está aqui.
Ler as experiências literárias da infância e perceber que os anos passam, mudam as gerações, mas os 'grandes' livros acompanham essas mudanças é um grande prazer e um sentimento de amor literário especial.
Parabéns pela iniciativa e oportunidade aos pequenos/grandes leitores!
Sou iniciante no ofício dos blogs; se for possível acessem o meu LER ou não SER - http://anammpereira.blogspot.com/
quero seguidores, críticas, sugestões, comentários... para crescer!
obs.: posso postar (c/os devidos créditos) esses PRIMEIRASB VEZES?
bjão carinhoso,
Ana M M Pereira