segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Escrita na terra da garoa




O ensino fundamental das escolas do estado de Sampa vai ficar muito mais legal. Sabem por quê? Porque SEIS (!) livros escritafinenses farão parte do currículo delas ;-)
Estamos radiantes!!! Afinal foram dez livros inscritos no edital da Secretaria estadual, ou seja, um aproveitamento de mais de 50% do que a gente botou pra jogo. Sinal de que estamos no caminho certo, né? Um viva pra gente e pro nosso time =)
Ah! E os livros escolhidos foram: 


Quer saber mais sobre a iniciativa? Clique aqui

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

25 dicas supimpas pra se tornar um escritor (ainda) melhor

foto de http://www.flickr.com/people/spaceamoeba/


Vagando por essa belezura que é a internê, nos deparamos com esse apanhado do 99u.com: 25 dicas para escritores... por escritores! Afinal, quem melhor pra nos aconselhar do que aqueles que mais entendem do riscado? 
Como somos legais e sabemos que alguns de vocês não foram alfabetizados em inglês, vai uma forcinha escritafinense com um resumão em tradução (bem) livre. Simbora?
1 - O óbvio ululante, por PD James: em vez de ficar pensando em escrever, sente o rabicó na cadeira e escreva logo de uma vez, ora pois!
2 - Steven Pressfield: não hesite! Isso é autossabotagem das brabas. Em outras palavras ... sente o rabicó na cadeira e escreva logo de uma vez!
3 - Esther Freud: escolha um momento do dia só pra escrever. Mas é só pra escrever mesmo! O resto pode esperar ;-)
4 - Zadie Smith: off-line, queridos! Nada de internet ligada na hora de espancar o teclado.
5 - Kurt Vonnegut : escolha um tema que você curta bastante. É a paixão que faz os bons romances (ou o que quer que você escreva)... as firulas linguísticas são o de menos.
6 - Mary McKenna: organize-se! Mas organize-se do seu jeitinho. Se o seu jeitinho é uma zona, mas você se acha nela, tá tranquilo. Isso é parte do seu processo criativo e vai impactar bastante no resultado final da sua obra-prima. 
7 - Bill Wasik: estrutura. Criar uma estrutura pro seu texto vai te dar uma ajuda bacana na hora em que aquele branco apavorante bater. 
8 - Joshua Wolf Shenk: tenha coragem de escrever mal. Sabe quando surge aquela ideia genial? Passe rapidinho pro papel, assim, sem grandes pretensões. Depois, bem depois, é que vale a pena consertar e reconsertar tudo. Mas o rascunho é no vapt-vupt!
9 - Sarah Walters: disciplina. Estabeleça uma meta e mande ver.
10 - Jennifer Egan: não se cobre tanto! Não são todos os seus textos que vão ganhar o Nobel de Literatura e isso não é vergonha nenhuma. Alguns até vão sair uma porcaria,&nbs p;e aí lembrem-se do tio Joshua na dica 8: tenha coragem de escrever mal!
11 - AL Kennedy: muito medo e tudo o que você vai conseguir é o silêncio. Então sejam como o Simba e riam na cara do perigo
12 - Will Self: não chore sobre o leite derramado. Começou um rascunho? Termine! Sem olhar pra trás, sem rever detalhes. Escrever é escrever, editar é editar - e editar é só depois do texto pronto.
13 - Haruki Murakami: atenção, concentração!
14 - Geoff Dyer: tenha muitas, muitas ideias.
15 - Augusten Burroughs: faça amigos que curtam escrever também. Assim um impulsiona o outro.
16 - Neil Gaiman: quando alguém tem um feeling de que algo não tá muito bacana, na maioria das vezes ele tá certo. Ma s se apontarem o erro e disserem como conserta r... xiiiii! Quase sempre é furada!
17 - Margaret Atwood: dê o seu texto pra uma segunda pessoa ler. Mas não dê pros namorados pra não dar briga =p
18 - Richard Ford: inspire-se na história de sucesso dos outros.
19 - Helen Dunmore: termine sua cota de escrita diária naquele momento exato em que você gostaria de escrever ainda mais.
20 - Hilary Mantel: deu branco? Arrume outra coisa pra fazer. 
21 - Annie Dillard: vai dar um nervosinho básico quando você vir o seu texto tomando forma. Não dê ouvidos a ele e continue escrevendo. 
22 - Cory Doctorow: escreva independentemente do que estiver acontecendo a seu redor. 
23- Chinua Achebe: faça o melhor que puder e dê tudo de si.
24 - Joyce Carol Oates: perseverança. A vida tá ruim? Tomou um pé do namorado? Levou bomba na prova? Continue escrevendo!
25 - Anne Enright: o único jeito de escrever é... seguir escrevendo. E assim voltamos ao querido óbvio ululante de PD James: sente o rabicó na cadeira e escreva logo de uma vez!

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Claricear



Ser Clarice não é pra qualquer uma, não. Depois da Clarice Lispector, ser batizada com um nome desses ganhou toda uma nova dimensão. Clarices precisam ser únicas, inovadoras, poderosíssimas! Ai, ai, ai... quanta responsa!
A nossa Clarice é pequenina, mas aguentou esse tranco numa boa, descobrindo que a vida é repleta de possibilidades. Nossa Clarice, na verdade, nem precisava ser Clarice pra ser assim tão cheia de energia. Poderia ser Fabi, ou Carla, ou Marcela... Qualquer um, com qualquer nome, pode claricear à vontade. Basta ter um pouquinho de imaginação e não deixar de ser criança nunca.
Nossa Clarice vê estrelas de um jeito só dela e convida você a vê-las de um jeito só seu. Às 16 horas ainda tá solzão lá fora, mas e daí? No mundo mágico da imaginação a gente faz o que quiser. E é por isso que domingo a gente vai mostrar a Clarice pro mundo lá na Livraria da Travessa do Leblon. Letícia Pires e Kammal João esperam por vocês!


quarta-feira, 8 de agosto de 2012

E o pai?

Ilustra de André Côrtes para Enquanto papai não volta...



Avós são mesmo inspiradoras. Tão inspiradoras que volta e meia chega um original aqui dedicado a elas. É cada história tão linda que a gente tem que se policiar pra não virar "Escrita Fina Edições da Avó". E nessa de querer a abraçar a diversidade, nos demos conta de que, opa!, cadê os papais? 
Pois bem! Os papais chegaram. 
Ou não.
Primeiro porque o livro ainda está no prelo, quase lá. Segundo porque Enquanto papai não volta..., da Maria Inez Espírito Santo, fala justamente da ausência dessa figura tão importante na vida da gente. E, às vezes, só quando o pai não volta mais é que nos damos conta disso. Mas não se engane! Esse não é um livro triste. É um livro sobre a saudade, e a saudade pode ser linda quando as lembraças vêm com a alegria pelo que foi vivido e não com a tristeza pelo que foi perdido.
Alguns pais não voltam por n motivos e isso pode trazer pra vida da gente um monte de "pai" novo. Um padrinho querido, um avô babão, um tio especial... Tem pai de tudo o que é tipo e isso nem sempre tem a ver com biologia. Tem a ver com amor, e, quando o assunto é amor, a gente se empolga mesmo pra publicar. Ainda mais se for pra ver a vida pelo lado cor-de-rosa ;-)
Enquanto papai não volta... não vai chegar às livrarias até o dia dos pais. Talvez ele nem seja o livro ideal pra dar de presente pro seu pai (ou seus pais). O nosso recado ao falar desse livro justamente no dia dos pais é bem simples. Sabe aquele abraço apertado? Aquele sorriso? Aquele "eu te amo"? São pra dar agora. Agorinha mesmo, sem esperar por domingo (mas domingo é pra dar tudo de novo). Antes que chegue o dia em que os seus pais vão e não voltem. E quando esse dia chegar, podem ter certeza de que, na verdade, eles nunca vão embora de vez. Sempre fica um pouquinho de pai dentro da gente. Essa Maria Inez sabe das coisas! 
Feliz dia dos pais =)