segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Que rufem os tambores!

Foram dias de inquietude. A cada foto que chegava por e-mail todos nós pensávamos: é essa!!! Mas aí chegava outra e de novo o coro... é essa! Olha, foi um perrengue escolher, hein!

Tivemos lindas fotos que não preencheram os requisitos (ou o livro não era da Escrita, ou a pessoa não tava lendo o livro etc, etc, etc), mas... e daí? Ficamos felizes do mesmo jeito! Infelizmente, o fair play diz que seria injusto que tais fotos entrassem na briga pelo milhão livro novo da Helena. Mas foi tão bacana, mas tão bacana ver a carinha de vocês... =) Não fiquem tristes, não.

Mas vamos parar com essa vibe João Kleber e dizer logo a sortuda do dia? Bem... ela tem blog, ela é legal e ela tá lendo um Moisés Liporage legítimo na foto. Glaucea, sim senhora, é você que abriu a porta da esperança, querida! Chega aí, pode entrar, toma um cafezinho que logo, logo Helena Gomes tá assinando o seu livro novo pra você ficar ainda mais cool.


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Foi dada a largada!

Super editora e super heroína lado a lado na Bienal


Ontem, na abertura da Bienal do Livro, eu estava lá. O clima literário era muito gostoso e soprava ininterruptamente uma brisa inventiva (não deve ter havido profissional do livro que tenha saído de lá sem uma nova ideia germinando na cabeça).
Está tudo muito bonito, inclusive no nosso estande no pavilhão verde, P26. Aos que forem à Bienal, não deixem de passar por lá e de se deleitar com  a nossa produção. Sim, os livros estão bem bacanas: textos excelentes, ilustrações belas e total apuro gráfico.Sei que soa cabotino, mas...
E, nesta edição da feira do livro, estamos lançando, nesta semana, a primeira ópera-rock  literária: A maldição da rainha do rock, de Mathilda Kóvak. Texto divertido, regado a suspense e muito rock' n' roll. Em tempos de Rock in Rio, nada melhor...
Saudações literárias,
Laura van Boekel

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Bienal do Rio Rock Festival


No dia mundial do rock, a gente fez um longo discurso sobre como música e literatura se completam e, pra provar por A mais B nossa teoria, ainda jogamos na roda um lançamento de uma ópera-rock.... literária! A boa notícia é que ela está pronta, minha gente!
A maldição da rainha do rock chegou juntinho com a nossa Bienal do Rio pra fazer uma entrada digna de rockstar. Junto com outros grandes autores mundias, Mathilda Kóvak vai desfilar pelo tapete verde (verde? é... eu sei, tinha que ser vermelho, mas o pavilhão é verde...) levando pela mão não um lencinho à moda Steven Tyler, não uma guitarra à moda Keith Richards, mas,sim, um LIVRO.

Bienal, tremei!
Pode um livro ser assim tão rock'n'roll? Será que Mathilda dará um moshpit na galera? Será que ela volta pro bis? Nós ainda não sabemos, mas se tratando de Mathilda, tudo é possível. E eu, se fosse você, não perderia por nada esse momento histórico.
Woodstock é para os fracos, baby...