segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Um regalo pra Bartô


Como a gente aqui na Escrita não cansa de dizer: o Bartô é nosso muso! Ele é aquele cara que quando a gente lê, parece até que tá sentado na mesa do boteco, com um pingado e um pão com manteiga. Um guerreiro incansável na cruzada pela popularização da leitura. O Bartô é dos nossos e se cá entre nós estivesse (em carne e osso, porque em obra e espírito estará sempre), com certeza seria um escritafinense ferrenho.
Mas, como já era de se esperar num país que não dá lá muita bola pra literatura (o que há de mudar!!!), tem uma galera que nunca ouviu falar nessa lenda chamada Bartolomeu Campos de Queirós. E nós, que amamos esse tipo de missão literária, quando vimos o livro do Augusto, não pensamos duas vezes: vamos espalhar Bartô pelo mundo! Começando devagarzinho, com poesia e delicadeza. Não que Augusto Pessôa mereça um segundo plano nessa história. Muito pelo contrário! Há que se ter muita coragem pra acatar uma missão como essa. E também muito talento. 
Bartlomeu Campos de Queirós foi escritor, educador, crítico de arte, museógrafo e ...para pra respirar... ensaísta. O Augusto conviveu com o Bartô (ô invejinha!) e resolveu mostrar pra gente (e pra vocês) o grande homem por trás da grande obra. Agora em janeiro fez um ano, no dia 16, que ele se foi, e esse livro é uma forma, não só do Augusto, mas de todos nós, de matarmos a saudade. E pra quem ainda não o conhecia, fica aquela peninha de não ter aproveitado esse moço até agora. Mas ainda dá tempo!

 Histórias do Bartô: uma homenagem a Bartolomeu Campos de Queirós será lançado na Blooks, dia 30 de janeiro. Pra mais informações, é só clicar no convite.

Nenhum comentário: